Imprimir na pedra

A gelatina líquida de prata funciona bem na pedra. A preparação é muito importante. Aplico sempre um impermeabilizante líquido (DIP Invisível). Se a pedra é muito porosa aplico um verniz a base de água incolor. Antes de fazer isso é essencial remover todo o pó que ficou depois de ter lixado. O verniz anti-uv é essencial para o acabamento. A última imagem em baixo é um retrato em pedra que está em Alfama, Lisboa. Está fora da exposição direta do sol.

Imprimir na parede

Para mim imprimir diretamente na parede, especialmente ao ar livre, é o mais estimulante. A parede tem que ser estucada com um bom estuque e o acabamento é melhor quando está liso…depois tem que se impermeabilizar. É uma boa ideia por um endurecedor em cima disto para ajudar a emulsão a agarrar à parede e fazê-la mais resistente.

Para o exterior tenho uma câmara obscura ambulante, com uma janela numa extremidade que fixamos à parede à volta da imagem que vai ser impressa. A gelatina líquida de prata que aplico (no escuro com luz vermelha) precisa de 2 horas para secar. Uso um projector para expor o negativo, seguido do processo standard de câmara escura de revelação, banho de paragem, fixador. Lavar é essencial. Para estar segura uso um Hypo, segue uma lavagem de 45 minutos com o uso de uma mangueira.

Imprimir na madeira

Uso uma tábua de madeira marítima com um acabamento em pinho. Isto para a tábua poder secar plana (com madeira pura e com grandes peças fica curvo). Na primeira imagem em baixo há peças de testes. Na segunda estou eu a preparar as coisas na minha câmara obscura para imprimir uma imagem em madeira usando o projector de slide. Na terceira estou a lavar uma peça numa grande pia feita com um plástico preto e uma estrutura de madeira (agora lavo as peças de pé).